Vereadores realizarão atos contra instalação de pedágio em Itanhém

Manifestações ocorrerão em duas cidades, no sábado e no domingo, dias 14 e 15

A União de Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) segue articulando medidas para evitar a instalação de uma praça de pedágio em trecho da Rodovia Padre Manuel da Nóbrega, em Itanhaém. O colegiado é contrário à medida do governo do Estado, pois entende que a cobrança dificultará a mobilidade dos moradores da Região. Por essa razão, o grupo prepara dois atos neste fim de semana, dias 14 e 15, nas cidades de Itanhaém e Peruíbe.

 

No sábado, dia 14, haverá um adesivaço, em Peruíbe, a partir das 10 horas, na entrada da cidade. No domingo, dia 15, em Itanhaém, está programada uma manifestação popular, a partir das 14 horas. A concentração será na Avenida Jaime de Castro.

As ações integradas refletem a unificação do posicionamento da Uvebs, que representa os 136 vereadores da Baixada Santista. “Somos solidários ao empenho do presidente da Câmara de Itanhaém — vereador Silvinho — contra a instalação da praça de pedágio. Estamos unidos, somando esforços nesta luta, pois toda a região entende que esta é uma decisão arbitrária e desfavorável”, disse o presidente da Uvebs, Roberto Andrade e Silva, o Betinho.

O parlamentar ressaltou a vocação turística da região, altamente prejudicada pelas medidas de isolamento social adotadas para o controle da Covid-19, e lembrou que esta retomada econômica encontra desafios com a instalação de mais praças de pedágio. “Recentemente houve a majoração do valor do pedágio do Sistema Anchieta-Imigrantes e agora pleiteiam a instalação de mais praça. Nessa fase de retomada da economia isto é algo danoso e que impacta negativamente os municípios mais ao sul da região, como Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe e ainda tem reflexos no Vale do Ribeira”.

Reunião

Na última terça-feira, dia 10, a Uvebs participou de reunião virtual com os deputados estaduais Caio França e Rafa Zimbaldi, que preside a Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa (Alesp).

Durante a reunião, ficou definida a solicitação de uma nova audiência pública em Itanhaém para debater o assunto e o pedido oficial de uma reunião com a diretoria da Artesp, com a presença dos vereadores, para esclarecer o assunto.

Presente, o presidente da Câmara de Itanhaém, Silvinho Oliveira, destacou os pontos desfavoráveis da instalação do pedágio. Segundo ele, estes aspectos, que não foram debatidos com a população, vão afetar não somente a mobilidade urbana, mas também o comércio, trazendo impactos negativos para a economia. “Todas as saídas da rodovia para acesso à cidade serão fechadas. A partir disso, para se ter acesso à Itanhaém, será preciso se deslocar para a cidade vizinha, que é Mongaguá, e percorrer de 13 a 26 quilômetros para chegar ao destino. Todo o trânsito interno da cidade vai ser desviado para o Centro Histórico, causando um transtorno para os demais bairros”, explicou.

Pedágio

A instalação do pedágio faz parte do projeto de concessões do Lote Rodovias do Litoral Paulista, que inclui investimentos, também, nas rodovias SP-98 (Mogi-Bertioga) e SP-88 (Pedro Eroles). Em Itanhaém, segundo o edital, as praças de pedágio deverão ser construídas no Km 325+360 (sentido Peruíbe) e Km 326+125 (sentido Santos) da Padre Manuel da Nóbrega. A concessão da rodovia inclui a extensão que vai de Praia Grande a Miracatu, no Vale do Ribeira.

 

 

Ecovias

ecovias