Especial
Área de lazer passa por manutenção urbana e recebe novo paisagismo

Trecho está recebendo o plantio de cerca de 30 árvores da espécie Ipê

A Prefeitura de Praia Grande está realizando obras de melhorias urbanísticas na Área de Lazer do bairro Mirim, localizada na rua Gilberto Fouad Beck, desde segunda-feira, dia 18. O local está recebendo limpeza geral, corte de grama e novo paisagismo, que inclui tratamento de espécies já existentes e o plantio de diversas plantas ornamentais e cerca de 30 árvores Ipês ao longo do trecho do percurso da pista de caminhada/cooper existente no local. Os trabalhos na área devem ser concluídos na próxima semana.

O local foi inaugurado em 2018 e conta com aproximadamente 18 mil m². Além do local destinado à caminhada, a área de lazer conta ainda com trecho de área verde, playground e praça da longevidade (equipamentos de atividade física voltados à Melhor Idade). Além disso, o trecho tem ainda piso sextavado em concreto, pergolados, bancos além de tratamento paisagístico.

Todo trabalho está sendo desenvolvido pela Secretaria de Serviços Urbanos e o subsecretário de Áreas Verdes e Resíduos do setor, Marcelus Condé Machado, explicou a importância de ações de manutenção como esta. “São trabalhos realizados pela Prefeitura com frequência, que além de deixar o espaço mais agradável e atrativo a todos, ainda fortalece a área como um importante trecho com jardim, áreas floridas e arborização”, explicou.

A área de lazer é composta por três grandes praças, localizadas entre a avenida Dr Roberto de Almeida Vinhas e rua Fernando João Monteiro, outra entre rua Fernando João Monteiro e a avenida Presidente Kennedy e o terceiro trecho vai da avenida Presidente Kennedy até a rua Alberto Figueiredo.

25/01/2021

Foto: Divulgação PMPG/Jairo Marques

 
Baixada Santista registra queda de 11% nas fatalidades de trânsito

 

Em 2020, foram 240 fatalidades contra 269 em 2019

Dados do Infosiga SP e programa Respeito à Vida apontam que a região administrativa de Santos registrou queda de 11% nas fatalidades de trânsito em 2020. No ano, foram 240 fatalidades contra 269 em 2019. Já o Estado de São Paulo teve o menor número de fatalidades de trânsito desde o início da série histórica, em 2015. Foram 5.023 óbitos causados por acidentes em 2020, índice 7,6% menor na comparação com 2019 (5.439) e 22,3% menor do que o registrado há cinco anos (6.466).

Na Baixada, os municípios de São Vicente, Guarujá e Cubatão registraram queda de 24%, 50% e 26%, respectivamente, no número de mortes por acidentes. Em contrapartida, Santos e Praia Grande tiveram alta de 15% e 12%. Os demais municípios, somados, tiveram aumento de 4%.

Segundo o diretor-presidente do Detran.SP, Ernesto Mascellani Neto o Governo do Estado, em parceria com a sociedade, tem empreendido uma série de iniciativas para combater a violência no trânsito. “Investimentos em obras, educação e fiscalização geraram uma queda contínua nos índices. Temos ainda um longo caminho pela frente, mas seguimos nessa jornada com base em inteligência e inovação para gerar projetos eficazes e que salvam vidas”, afirma o diretor-presidente do Detran.SP”.

No Estado, motociclistas lideram as estatísticas de fatalidade com 1.899 ocorrências, uma redução de 1,1% na comparação com o ano anterior (1.921 óbitos) e de 0,2% em relação a 2015 (1.902). Ocupantes de automóveis estão em segundo lugar com 1.242 fatalidades no mês e redução de 10,4% na comparação com 2019 (1.386 vítimas) e 22,4% em relação a 2015 (1.599).

Pedestres seguem como o grupo com maior redução nos índices. Foram 1.108 fatalidades em 2020, o que representa redução de 20,6% na comparação com o ano anterior (1.395 óbitos) e de 36,3% em relação a 2015 (1.740). Em 200, foram registrados 413 óbitos de ciclistas, aumento 2,5% em comparação com 2019 (403 fatalidades) e de 37,2% em relação a 2015 (301).

Das 16 regiões administrativas do Estado, 11 apresentaram redução nos índices na comparação com 2019, com destaque para as regiões de Presidente Prudente (-30%) e Central e São José do Rio Preto (-22%). Outras cinco tiveram aumento nas fatalidades.

Entre janeiro e dezembro de 2020, foram registrados ainda 170.292 acidentes com vítimas, redução de 9,3% na comparação com o mesmo período de 2019 (187.758 acidentes). A maioria das ocorrências (49,5%) fatais ocorre em vias municipais e 44% em rodovias. Em 6,5% dos casos não foi possível identificar com precisão a jurisdição da via.

Em 2020, jovens com idade entre 18 e 34 anos corresponderam a 36% das vítimas de trânsito. A maioria é homem (83%) e condutor do veículo (61%). Mais da metade (51%) das vítimas faleceram nos hospitais. Em 78% das ocorrências, o óbito ocorreu no mesmo dia do acidente.

As ocorrências estão concentradas no período noturno (57%) e nos finais de semana (44%). O principal tipo de acidente é a colisão entre veículos (38% do total), seguido pelos atropelamentos (23%) e choque contra objetos fixos (19%).

25/01/2021

Foto: Divulgação

 
Baixada Santista registra queda de 11% nas fatalidades de trânsito

 

Em 2020, foram 240 fatalidades contra 269 em 2019

Dados do Infosiga SP e programa Respeito à Vida apontam que a região administrativa de Santos registrou queda de 11% nas fatalidades de trânsito em 2020. No ano, foram 240 fatalidades contra 269 em 2019. Já o Estado de São Paulo teve o menor número de fatalidades de trânsito desde o início da série histórica, em 2015. Foram 5.023 óbitos causados por acidentes em 2020, índice 7,6% menor na comparação com 2019 (5.439) e 22,3% menor do que o registrado há cinco anos (6.466).

Na Baixada, os municípios de São Vicente, Guarujá e Cubatão registraram queda de 24%, 50% e 26%, respectivamente, no número de mortes por acidentes. Em contrapartida, Santos e Praia Grande tiveram alta de 15% e 12%. Os demais municípios, somados, tiveram aumento de 4%.

Segundo o diretor-presidente do Detran.SP, Ernesto Mascellani Neto o Governo do Estado, em parceria com a sociedade, tem empreendido uma série de iniciativas para combater a violência no trânsito. “Investimentos em obras, educação e fiscalização geraram uma queda contínua nos índices. Temos ainda um longo caminho pela frente, mas seguimos nessa jornada com base em inteligência e inovação para gerar projetos eficazes e que salvam vidas”, afirma o diretor-presidente do Detran.SP”.

No Estado, motociclistas lideram as estatísticas de fatalidade com 1.899 ocorrências, uma redução de 1,1% na comparação com o ano anterior (1.921 óbitos) e de 0,2% em relação a 2015 (1.902). Ocupantes de automóveis estão em segundo lugar com 1.242 fatalidades no mês e redução de 10,4% na comparação com 2019 (1.386 vítimas) e 22,4% em relação a 2015 (1.599).

Pedestres seguem como o grupo com maior redução nos índices. Foram 1.108 fatalidades em 2020, o que representa redução de 20,6% na comparação com o ano anterior (1.395 óbitos) e de 36,3% em relação a 2015 (1.740). Em 200, foram registrados 413 óbitos de ciclistas, aumento 2,5% em comparação com 2019 (403 fatalidades) e de 37,2% em relação a 2015 (301).

Das 16 regiões administrativas do Estado, 11 apresentaram redução nos índices na comparação com 2019, com destaque para as regiões de Presidente Prudente (-30%) e Central e São José do Rio Preto (-22%). Outras cinco tiveram aumento nas fatalidades.

Entre janeiro e dezembro de 2020, foram registrados ainda 170.292 acidentes com vítimas, redução de 9,3% na comparação com o mesmo período de 2019 (187.758 acidentes). A maioria das ocorrências (49,5%) fatais ocorre em vias municipais e 44% em rodovias. Em 6,5% dos casos não foi possível identificar com precisão a jurisdição da via.

Em 2020, jovens com idade entre 18 e 34 anos corresponderam a 36% das vítimas de trânsito. A maioria é homem (83%) e condutor do veículo (61%). Mais da metade (51%) das vítimas faleceram nos hospitais. Em 78% das ocorrências, o óbito ocorreu no mesmo dia do acidente.

As ocorrências estão concentradas no período noturno (57%) e nos finais de semana (44%). O principal tipo de acidente é a colisão entre veículos (38% do total), seguido pelos atropelamentos (23%) e choque contra objetos fixos (19%).

25/01/2021

Foto: Divulgação

 
São Paulo adia volta às aulas da rede estadual para 8 de fevereiro

Volta seria em 1º de fevereiro e foi adiada para capacitação dos professores

Leia mais...
 
Plano SP passa 78% das regiões à fase laranja, com restrições da vermelha nos finais de semana

Baixada Santista está entre as regiões que regrediram de fase

Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Ecovias

ecovias