Estado adia atualização do Plano SP para dia 30 por problemas no sistema federal

Além do adiamento, quarentena em São Paulo foi prorrogada até 16 de dezembro, como vem acontecendo desde o início da pandemia

 

 

Um decreto publicado no Diário Oficial do Estado na terça-feira, dia 17, prorrogou a quarentena em São Paulo até 16 de dezembro, assim como ocorre desde o início da pandemia.

Esta é a 14ª vez que a quarentena é prorrogada e conforme consta no documento, o funcionamento de comércios e serviços continuará seguindo o Plano São Paulo, que teve a atualização prevista para segunda-feira, dia 16, adiada para o dia 30, o que manteve as regiões do Estado nas atuais fases.

A decisão de reclassificar as regiões duas semanas após o previsto acontece em virtude das instabilidades em dados do sistema Sivep-Gripe do Ministério da Saúde, que afetou os números de outros estados.

As dificuldades de acesso em seis dos últimos nove dias, tanto na notificação por parte dos municípios, quanto na extração de dados da Secretaria de Saúde do Estado, afetaram os números das semanas epidemiológicas 45 e 46. Na segunda-feira, dia 16, o Estado ingressou na 47ª semana epidemiológica.

Segundo o governador João Doria (PSDB), a prorrogação demonstra cautela e responsabilidade de não alterar as qualificações adotadas sem ter os indicadores disponíveis.

O Plano SP, que determina a retomada econômica em meio à pandemia do coronavírus é dividido em cinco fases, classificadas com diferentes cores (vermelha, laranja, amarela, verde e azul) e cada uma estipula quais setores serão liberados.

Até agora regiões estão na fase verde, quarta menos restritiva, sendo Baixada Santista, Capital, Taubaté, Campinas, Piracicaba e Sorocaba. Já na fase amarela, a terceira, que define a flexibilização estão 11 regiões: Araraquara, Araçatuba, Bauru, Franca, Marília, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Registro e Barretos.

Desde 1º de junho, quando o Plano SP entrou em vigor, as atualizações eram realizadas as sextas-feiras e de forma semanal. Caso a regra atual fosse mantida, a atualização ocorreria no dia 6 de novembro, não dia 16. No entanto, desde setembro as avaliações acontecem mensalmente com a próxima classificação após o segundo turno das eleições.

Doria também disse que a intenção era de que todo o Estado passasse à fase verde, porém, indicadores de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e internações cresceram na última semana em relação à semana anterior, “momento que requer precaução e uma análise mais completa da situação”, declarou.

Conforme o secretário de Saúde estadual, Jean Gorinchteyn, houve aumento de 18% nas internações, tanto na rede pública, quanto na particular, passando a ter a média diária de 859 para 1.009. Os números, porém, são comparados com a semana epidemiológica 45 (8 a 14 de novembro), quando os dados foram os menores do Plano SP.

Com o anúncio, o Estado admitiu a elevação após Gorinchteyn, negar que os números haviam subido, mesmo após hospitais terem alertado sobre a alta.

19/11/2020

 

 

 

Ecovias

ecovias