Baixada Santista avança para fase verde do Plano São Paulo

Ao todo seis regiões avançaram pela primeira vez para a fase verde do Plano

 




Depois de quase quatro meses na fase amarela do Plano São Paulo de retomada econômica, criado por conta da covid-19, a Baixada Santista passou para a fase verde. A informação foi anunciada pelo Estado na sexta-feira, dia 9, durante coletiva.

A nova medida vale a partir de sábado, dia 10, e seguirá até o dia 16 de novembro, quando um novo balanço será divulgado. A região está na fase amarela desde 13 de julho e essa evolução permitirá que comércios ampliem os horários de funcionamento.

Além da Baixada Santista, outras cinco regiões foram classificadas para a quarta etapa menos restritiva: Campinas, Piracicaba, Sorocaba, Taubaté e a Capital, o que faz 76% do Estado ir pela primeira vez para a etapa verde. Segundo o Centro de Contingência do Coronavírus a mudança foi possível devido à melhora nos indicadores nas últimas semanas.

Seguem na fase amarela Araçatuba, Araraquara, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto. Apesar da permanência, nenhuma delas teve a taxa de ocupação de leitos acima de 65%. A média do Estado é de 43,3%. Houve apenas a regressão de Barretos, que estava na fase amarela e voltou para a laranja, segunda do Plano SP, de controle.

Entre as mudanças, a fase verde permitirá o funcionamento dos comércios por 12 horas como shopping, lojas de rua, academias, salões de beleza, restaurantes, entre outros. A capacidade é de até 60%, sendo que na amarela é 40%.

Já os locais que continuam na zona amarela estão liberados a estender o horário de oito para dez horas nas lojas e serviços.

Restaurantes e similares poderão ficar abertos até às 23h. O serviço deverá ser encerrado às 22h, porém, os clientes poderão ficar no local até às 23h. A medida vale para as fases verde e amarela.

Além disso, o Centro de Contingência decidiu reunificar a Grande São Paulo em apenas uma divisão regional de saúde. A separação em cinco sub-grupos foi realizada no início da pandemia como forma de analisar e acompanhar as taxas.

O Governo ressaltou que apesar de parte estar na fase verde, o Estado continua em quarentena e está distante de passar para a azul, quinta e última etapa do plano, que é considerada normal, mas com controle. Estão sendo estudados quais serão os critérios utilizados para a definição da fase e um deles será a disponibilidade da vacina à população e número de casos baixos, semelhante ao que acontece com o vírus H1N1.

13/10/2020

 

 

 

 

Ecovias

ecovias