Entenda como vai funcionar o Pix, novo sistema de pagamento

O cadastramento de chaves do novo sistema de pagamentos instantâneos do BC começou nesta segunda

 

 

A fase de cadastramento do Pix, novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC), previsto para começar a funcionar em novembro, começou nesta segunda-feira, dia 5. Pessoas físicas e jurídicas (empresas) poderão registrar as chaves digitais de endereçamento para enviar ou receber dinheiro e fazer pagamentos em 644 instituições financeiras.

As chaves são o “método fácil e ágil” de identificação do recebedor. Desta forma, o pagador não precisará de dados como número da instituição, agência e conta para fazer uma transferência. O cliente poderá cadastrar como chave um número de celular, um e-mail ou o CPF ou CNPJ. Ao criar uma chave, o usuário realizará transações de maneira mais simples e ágil, mas o cadastramento não é obrigatório.

Caso o usuário queira usar o sistema de pagamento instantâneo, sem a chave PIX, será preciso digitar todos os dados bancários do destinatário para realizar uma transação, como número da agência, conta (corrente ou poupança) e CPF ou CNPJ. O Pix entrará em vigor no dia 16 de novembro, mas, antes, a partir do dia 3 de novembro, o novo sistema começará a ser disponibilizado já para alguns clientes selecionados para uma fase de testes.

A expectativa é que o Pix substitua DOCs e TEDs, por ser gratuito, instantâneo e estar disponível a qualquer hora, sete dias por semana. A previsão é que a maioria das transações seja aprovada e finalizada em até dez segundos. O Pix será gratuito para pessoas físicas, que poderá enviar e receber transferências e realizar compras. Pessoas jurídicas poderão ser tarifadas.

O cidadão só poderá ser tarifado em duas hipóteses: quando receber recursos via Pix para pagamento de venda de produto ou de serviço prestado ou se usar os canais presenciais ou de telefonia para realizar um Pix, quando os meios eletrônicos estiverem disponíveis.

As transações também poderão ser feitas por meio de QR Code (versão avançada do código de barras lida pela câmera do celular) ou com base na chave cadastrada. No lugar de informar os dados de uma conta para depósito, bastará, por exemplo enviar um QR Code por e-mail ou aplicativo de troca de mensagens.

COMO CADASTRAR – Para cadastrar a chave Pix, basta acessar o aplicativo da instituição em que tem conta e fazer o registro, vinculando a uma conta específica uma das três informações: número de telefone celular, e-mail ou CPF/CNPJ.

As informações serão armazenadas em uma plataforma tecnológica desenvolvida e operada pelo BC, chamada Diretório Identificador de Contas Transacionais (DICT), um dos componentes do Pix.

Com o cadastro, bastará informar a “chave PIX” para um contato para receber uma transferência. Ao digitar a chave, os dados da conta do destinatário aparecerão automaticamente na hora de realizar a transação, bastando conferir a identificação e digitar os valores antes de confirmar a operação.

No entanto, se o cliente tem conta em mais de um banco, não será possível vincular uma mesma chave para mais de uma de uma instituição financeira. Ou seja, se no banco A, o cliente cadastrar um e-mail, no banco B terá que cadastrar um outro e-mail ou então o número de celular ou CPF.

08/10/2020

Foto: Divulgação

 

 

 

Ecovias

ecovias