Estado autoriza partidas de futebol sem torcida a partir do dia 22

Campeonato Paulista ainda possui duas rodadas de classificação e outras quatro de eliminatórias a cumprir, com previsão de término em 8 de agosto


As partidas de futebol do Estado pelo Campeonato Paulista poderão ser retomadas a partir do dia 22. A liberação foi divulgada pelo governador João Doria (PSBD) na quarta-feira, dia 8.

Os jogos não poderão receber torcedores e só serão realizados em cidades que estão na fase amarela do Plano São Paulo. Atualmente, somente a Capital e parte da Grande São Paulo estão na etapa.

Até a volta do Paulistão, o governo estadual informou que mais duas reclassificações das 17 regiões podem ser feitas antes da retomada.

Além dos portões fechados ao público e restrições territoriais de acordo com a evolução da pandemia, a Federação Paulista de Futebol (FPF) terá que cumprir um protocolo sanitário para organizar os jogos.

O Campeonato Paulista ainda possui duas rodadas de classificação e outras quatro de eliminatórias a cumprir, com previsão da decisão em 8 de agosto.

No mês passado, o Estado determinou protocolos para que as equipes voltassem a treinar em 1º de julho. Há exigência de testagem regular e medição de temperatura de jogadores e demais profissionais, limitação de pessoas nos treinamentos e uso obrigatório de máscaras, exceto quando a proteção limita ou prejudica os atletas.

Em coletiva na segunda-feira, dia 6, Doria havia dito que clubes do Estado não poderiam iniciar a participação no Campeonato Brasileiro antes do término do Campeonato Paulista.

A declaração ocorreu um dia após a publicação de entrevista do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, ao jornal O Globo, na qual ele confirma a abertura das Séries A, B e C do torneio nacional para os dias 8 e 9 de agosto.

De acordo com Doria, o retorno está levando em conta os aspectos de saúde e o protocolo assinado com a FPF. E esta, por sua vez, com as equipes da primeira divisão. “Sobre a decisão da CBF de voltar no dia 9, não houve consulta prévia ao governo do estado”, comentou.

09/07/2020

 

Ecovias

ecovias